L. Ron Hubbard


L. RON HUBBARD

Como fundador de Dianética e Scientology, as descobertas de L. Ron Hubbard sobre os temas do homem, mente e espírito têm ajudado pessoas em todo mundo a compreender melhor a si mesmo e os outros.

“Para conhecer a vida,” ele escreveu, “você tem que ser parte dela. Você precisa descer lá e olhar, precisa entrar nos cantos e fendas da existência, e se acotovelar com todas as espécies e tipos de homens antes que possa finalmente estabelecer o que é o Homem”. E ao longo desta longa e aventurosa busca pelo conhecimento, L. Ron Hubbard fez exatamente isso, e neste caminho ele também tornou-se um dos autores mais influentes do século vinte, com mais de 160 milhões de exemplares dos seus trabalhos em circulação mundial.

Seu persistente interesse na mente humana foi inicialmente motivado aos 12 anos, quando ele estudou sob o Comandante Joseph C. Thompson - um dos primeiros estudantes de psicanálise e o primeiro oficial naval dos Estados Unidos a estudar com Freud em Viena. Apesar de que Ron rejeitaria definitivamente a teoria de Freud como impraticável e nada funcional, de qualquer modo através deste estudo, ele chegou a uma conclusão básica: “Pode-se fazer algo a respeito da mente”.
Continuando sua pesquisa através do Sul do Pacífico e Ásia, Ron tornou-se um dos poucos americanos autorizados a entrar nas sagradas lamasarias Tibetanas nos Vales do Oeste da China. Ele inclusive estudou com a última linha de magos reais da corte de Kublai Khan. Apesar das fábulas de liberdade do Oriente, ele lá encontrou uma pobreza dolorosa e um desespero assustador, e somente pôde concluir: “O conhecimento trancado em livros embolorados é de pouco uso para qualquer pessoa e, portanto, de pouco valor, a menos que possa ser usado”.
Ao retornar para os Estados Unidos, Ron continuou seus estudos de engenharia, matemática e física nuclear na Universidade de George Washington, e todas estas matérias serviriam mais tarde na sua investigação sobre a natureza e princípios da vida. De fato, ele foi o primeiro a aplicar rigorosamente os métodos empíricos do Oeste para o estudo da mente e do espírito, começando com suas pesquisas universitárias em temas variados como o armazenamento da memória humana e a natureza da estética. Porém, apesar da metodologia básica ter sido usada como um parâmetro para investigação posterior, a universidade não ofereceu respostas reais. De fato, como ele escreveu: “Era muito óbvio que eu estava lidando e vivendo numa cultura que sabia menos sobre a mente que a mais baixa tribo primitiva que já estive em contato”. Consequentemente, ele adicionou: “Eu soube que teria que realizar muita investigação”.
Essa pesquisa consumiu as várias décadas que se seguiram, tendo o mundo como seu laboratório. Sem acesso ao conforto de “doações para pesquisas”, e apoiado somente pela sua brilhante carreira literária, Ron estudou 21 raças e culturas - desde as tribos indígenas no noroeste do Pacífico até os Tagalogs filipinos nos Jibaros de Porto Rico. (Consequentemente, ele também é lembrado na lista do respeitado Clube de Exploradores de Nova Iorque do qual tornou-se um membro de prestígio). A Segunda Guerra provocou uma interrupção na sua investigação, mas por outro lado, causou um avanço no desenvolvimento da atual tecnologia da mente humana.
O primeiro procedimento que ele desenvolveu foi testado no Hospital Naval de Oak Knoll ao norte da Califórnia, onde o então Tenente L. Ron Hubbard recebeu tratamento para lesões sofridas em combate. Seus casos de pesquisa eram ex-prisioneiros de campos de concentração japoneses, dos quais a ciência médica tinha desistido. Porém, com a aplicação das técnicas iniciais da Dianética, cada paciente com quem Ron trabalhou recuperou sua saúde, de uma maneira notável e conclusiva. Com a restauração da paz, Ron estava preparado para fazer mais testes sobre a funcionalidade da Dianética em centenas de pessoas de todos os níveis.
Em 1947, depois de desenvolver a única tecnologia efetiva, testada totalmente no laboratório da vida real, ele colheu anotações sobre numerosas histórias de caso, juntou isso com os anos precedentes de testes e preparou uma tese detalhando ambas: a teoria subjacente e as técnicas. Cópias deste manuscrito (hoje publicado com o título: A Tese Original) foram distribuídas aos círculos médicos e científicos. Depois esta tese foi avidamente copiada e passada a amigos. Deste modo, a tese original de Ron sobre Dianética teve uma circulação ampla e imediata.
Para satisfazer o grande fluxo de perguntas dos leitores, Ron foi motivado a escrever um texto definitivo sobre o tema. Como consequência, ele começou a escrever o livro Dianética: O Poder da Mente sobre o Corpo, o primeiro texto compreensível escrito sobre a mente humana. Foi lançado a 9 de maio de 1950, tornando- se um evento marcante na história das publicações, conseguindo ampla aclamação e interesse do público. A obra imediatamente subiu ao topo da lista de best-sellers do The New York Times e manteve-se lá semana após semana.
E continua sendo o livro mais amplamente lido e usado da história da mente humana, com mais de 22 milhões de exemplares em circulação. Hoje, Dianética é um fenômeno mundial, usado por milhões de pessoas, em mais de 170 nações e 50 idiomas. Dianética, no entanto, não significou a culminação da pesquisa de Ron.
Em realidade, com as demais descobertas, ele logo se aprofundou em toda a linha da existência humana, provendo a prova demonstrável de que o homem era um ser de muito mais que “uma única vida”, e certamente não era seu corpo. Com contínuas pesquisas, ele desenvolveu as primeiras técnicas de exteriorização do indivíduo do seu corpo, e assim realizou o sonho de mais de 2500 anos. Continuando a pesquisa sobre a verdadeira identidade da força vital, Ron foi levado às descobertas que formaram a base da Scientology, o estudo sobre o espírito relacionado com ele mesmo, universos e outra vida.
Trabalhos posteriores conduziram ao desenvolvimento de técnicas que permitissem a um ser exteriorizado recuperar seus poderes natos de operar independentemente do corpo. Ron teve sucesso em mapear um caminho que qualquer pessoa pode atravessar até níveis maiores de consciência e habilidade. Durante a década de 50, Ron continuou avançando nas técnicas de Scientology com o desenvolvimento de centenas de novos processos, aprofundando-se na verdadeira natureza do homem e documentando seus progressos nas centenas de conferências gravadas, assim como em livros, publicações técnicas e artigos.
Nos anos seguintes,, Ron continuou a buscar métodos para ajudar os indivíduos. Ao perceber a decadência das condições na sociedade, desenvolveu procedimentos para direcionar e resolver uma grande área de problemas do homem. Nenhuma área da vida permaneceu intocada nesta pesquisa para melhorar a condição humana. Seu trabalho deu soluções para tais males sociais como o declínio dos padrões educacionais, degradação moral e uso de drogas.
Ele codificou a administração de organizações, os princípios éticos, o tema da arte, lógica e muito mais. E ainda assim, nunca perdeu de vista o indivíduo comum e seus problemas diários gerados pela vida nestes tempos difíceis e tumultuados.
Assim, em Scientology encontram-se soluções para qualquer dificuldade que se possa encontrar na vida.
Os trabalhos de L. Ron Hubbard no tema do homem, da mente e do espírito compreendem hoje dezenas de milhões de palavras publicadas em grande volume de livros, manuscritos e mais de 3000 conferências gravadas. Os maiores testemunhos da visão de Ron são os resultados milagrosos de sua tecnologia, e os milhões de amigos pelo mundo que levaram seu legado ao século XXI. Ambos continuam a crescer a cada dia que passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário